Doença Celíaca

O que é a Doença Celíaca?

A doença celíaca (enteropatia por glúten) é uma reação imunitária à ingestão de glúten, uma proteína encontrada no trigo, cevada e centeio.

 

Se tem doença celíaca, comer glúten desencadeia respostas imunitárias no intestino delgado. Com o tempo, essa reação danifica o revestimento do intestino delgado e impede a absorção de alguns nutrientes (má absorção). Geralmente, este dano intestinal causa diarreia, fadiga, perda de peso, inchaço e anemia e pode levar a complicações sérias.

 

Em crianças, a má absorção dos nutrientes pode afetar o desenvolvimento e o crescimento, para além dos sintomas observados em adultos.

 

Não existe cura para a doença celíaca, no entanto para a maioria das pessoas a adoção de uma alimentação rigorosa sem glúten ajuda a controlar os sintomas e a recuperar a integridade da mucosa intestinal.

Quais são os sintomas da Doença Celíaca?

Os sinais e sintomas da doença celíaca podem variar muito e são diferentes em crianças e adultos. Os sintomas mais comuns em adultos são diarreia, fadiga e perda de peso, podendo também sentir inchaço e flatulência, dor abdominal, náusea, obstipação e vómitos.

 

No entanto, a grande maioria dos adultos apresenta sinais e sintomas que não estão relacionados com o sistema digestivo, tais como:

  • Anemia, geralmente resultante da deficiência de ferro

  • Perda de densidade óssea (osteoporose) ou enfraquecimento e desmineralização do osso (osteomalácia)

  • Comichão e erupção cutânea bolhosa (dermatite herpetiforme)

  • Danos no esmalte dentário

  • Úlceras na boca

  • Dores de cabeça e fadiga

  • Lesão no sistema nervoso, incluindo dormência e formigueiro nos pés e mãos, possíveis problemas de equilíbrio e comprometimento cognitivo

  • Dor nas articulações

  • Funcionamento reduzido do baço (hipospinismo)

  • Refluxo ácido e azia

Quais são as causas da Doença Celíaca?

A doença celíaca ocorre a partir de uma interação entre genes, ingestão de alimentos com glúten e outros fatores ambientais, no entanto não é conhecida a causa exata. Hábitos alimentares durante a infância, infeções gastrointestinais e bactérias intestinais podem contribuir para o desenvolvimento da doença celíaca.

 

Por vezes, a doença celíaca pode ser desencadeada após uma cirurgia, gravidez, parto, infeção viral ou stress emocional grave.

 

Quando o sistema imunitário reage excessivamente ao glúten, a reação danifica as vilosidades que revestem o intestino delgado. As vilosidades absorvem vitaminas, minerais e outros nutrientes dos alimentos que ingere. Se as vilosidades estiverem danificadas, não conseguirá absorver nutrientes suficientes independentemente da quantidade de alimentos que ingira.

 

Algumas variações genéticas podem aumentar o risco de desenvolver a doença, mas ter essas variantes genéticas não significa que desenvolva doença celíaca, o que sugere que fatores adicionais possam estar envolvidos.

 

A taxa de doença celíaca nos países ocidentais é estimada em cerca de 1% da população, sendo mais comum em caucasianos. No entanto, cada vez é mais frequente ser diagnosticado entre outros grupos étnicos.

Quais são os fatores de risco que originam a Doença Celíaca?

A doença celíaca pode afetar qualquer pessoa, no entanto tende a ser mais comum em pessoas que têm:

  • Histórico familiar com doença celíaca ou dermatite herpetiforme

  • Diabetes tipo 1

  • Síndrome de Down ou síndrome de Turner

  • Doença tireoidiana autoimune

  • Colite microscópica (colite linfocítica ou colagenosa)

  • Doença de Addison

  • Artrite reumatóide

Quais as complicações associadas à Doença Celíaca?

Sem tratamento, a doença celíaca pode causar:

  • Desnutrição: Os danos provocados no intestino delgado origina uma má absorção de nutrientes. A desnutrição pode causar anemia e perda de peso. Em crianças, pode causar crescimento lento e baixa estatura.

  • Perda de cálcio e densidade óssea: A má absorção de cálcio e vitamina D pode levar a um enfraquecimento do osso (osteomalácia ou raquitismo) em crianças e perda de densidade óssea (osteoporose) em adultos.

  • Infertilidade e aborto: Insuficiência de cálcio e vitamina D pode contribuir para problemas reprodutivos.

  • Intolerância à lactose: Danos no intestino delgado podem causar dor abdominal e diarreia após a ingestão de alimentos que contêm lactose, mesmo que não contenham glúten. Após a cicatrização do intestino, conseguirá tolerar alimentos lácteos novamente, no entanto algumas pessoas acabam por desenvolver intolerância à lactose, mesmo com tratamento bem sucedido à doença celíaca.

  • Cancro: Pessoas com doença celíaca que não fazem uma dieta sem glúten têm um risco maior de desenvolver cancro, como linfoma intestinal e cancro do intestino delgado.

  • Problemas neurológicos: Algumas pessoas com doença celíaca podem desenvolver problemas neurológicos, como convulsões ou neuropatia periférica (disfunção dos nervos periféricos).

Qual é o tratamento para a Doença Celíaca?

Para tratar esta condição deve consultar uma equipa multidisciplinar constituída por um médico gastroenterologista que irá avaliar a causa do seu problema e designar qual o melhor tratamento farmacológico e por uma nutricionista que irá estabelecer um plano alimentar adequado para minimizar os sintomas da doença celíaca.

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Cinzento G + Ícone
  • Cinza ícone do YouTube