A Obesidade e o Síndrome do Ovário Policístico


O Síndrome do Ovário Policístico é o distúrbio endócrino mais comum entre as mulheres na idade reprodutiva e apresenta uma incidência mundial estimada de cerca de 4% a 12%. A presença deste síndrome afeta a fertilidade e a saúde mental, cardiovascular e metabólica.

É classificado como um síndrome, pois é uma condição muito heterogénea e nem todas as mulheres expressam todos os sintomas associados à doença.


O Síndrome do Ovário Policístico é caracterizado por alguns sintomas e características clínicas:

  • Hiperandrogenismo - Ocorre um aumento da produção de androgénios que pode causar acne, excesso de pêlos faciais e corporais (em zonas que normalmente ocorrem nos homens) e alopecia (queda cabelo).

  • Ciclos menstruais irregulares ou sem ovulação - Ausência de menstruação ou ciclos superiores a 35 dias

  • Ovários policísticos - Presença de múltiplos quistos nos ovários

A resistência à insulina é muito comum neste síndrome e a sua presença é independente à obesidade, contudo agrava com o excesso de peso e obesidade. Existe um risco aumentado do desenvolvimento de síndrome metabólica e diabetes tipo 2.


Relação com a Obesidade

Nem todas as mulheres com o Síndrome do Ovário Policístico têm obesidade, assim como nem todas as mulheres com obesidade têm esta condição. No entanto, a obesidade é uma das características mais comuns neste síndrome, sendo que aproximadamente 50% das mulheres apresenta excesso de peso ou obesidade.

Existe também uma maior tendência a acumular gordura visceral (gordura localizada à volta dos órgãos), em comparação a mulheres sem este síndrome, que está estreitamente associada com a resistência à insulina promovida pela testosterona.

As mulheres com obesidade apresentam um fenótipo da doença mais severo com ciclos menstruais mais irregulares e maior risco de infertilidade, abortos, hipertensão, dislipidemias, intolerância à glicose, diabetes tipo 2, diabetes gestacional, bebés prematuros e hiperandrogenismo mais severo.


Infertilidade no Síndrome do Ovário Policístico

É comum as mulheres com este síndrome apresentarem disfunções na ovulação e ciclos menstruais irregulares. Um ciclo menstrual superior a 35 dias sugere uma anovulação (ausência de ovulação) e está associado ao aumento do risco de desenvolvimento de hiperplasia do endométrio, cancro e infertilidade.