Fome emocional: a inimiga da sua dieta

Atualizado: 20 de Fev de 2019


Esta é uma das principais razões pelas quais muitas dietas falham: comer por impulso sem ter fome. Muitas vezes, as pessoas recorrem à comida para aliviar o stress ou as emoções negativas, como a tristeza, a solidão ou o tédio. Fazer uma alimentação consciente pode ajudar a reduzir o impulso emocional que sabota a sua dieta e a recuperar o controlo sobre a comida e os sentimentos associados.


O que é a fome emocional?

A fome emocional (ou fome por stress) é comer para se sentir melhor, ou seja, comer para satisfazer as necessidades emocionais, em vez de comer para saciar a fome.

Recorrer ocasionalmente à comida como estimulante, recompensa ou celebração não é considerado um comportamento negativo, mas quando comer se torna o principal mecanismo utilizado para enfrentar as emoções negativas está a entrar num ciclo em que o foco não se centra no problema ou na solução.

A fome emocional não consegue ser saciada com comida. Comer pode fazê-lo sentir-se melhor no momento, mas os sentimentos que despertaram essa necessidade continuam presentes. E de seguida poderá sentir-se ainda pior, pois poderá sentir-se com remorsos de ter ingerido calorias desnecessárias.

Não importa o quão impotente se sinta em relação à comida ou aos seus sentimentos, é possível mudar positivamente. Pode encontrar maneiras saudáveis de gerir as suas emoções, aprender a alimentar-se de forma consciente, recuperar o controlo sobre o seu peso e, finalmente, parar de comer emocionalmente.


Diferenças entre fome emocional e fome física

A fome emocional pode ser facilmente confundida com fome física. No entanto, existem vários indícios que podem ajudá-lo a distinguir a fome física e da fome emocional.

A fome emocional surge de repente e parece ser esmagadora e urgente. A fome física aparece gradualmente. O impulso para comer não aparenta ser desejo nem exige a satisfação imediata, a não ser que já não coma à muitas horas.

A fome emocional causa desejo por alimentos específicos. Quando está com fome física quase tudo lhe soa bem, até mesmo alimentos saudável como vegetais. A fome emocional cria um desejo por comida processada ou snacks açucarados que providenciam uma satisfação imediata.

A fome emocional leva a comer de forma inconsciente. Antes de se aperceber, já devorou um pacote de batatas ou uma gulosice qualquer. Quando come em resposta à fome física está mais ciente do que ingere.

A fome emocional não é saciada mesmo quando está cheio. Quer mais e mais até se sentir mal disposto de tanto comer. A fome física não exige que esteja cheio. Sente-se satisfeito quando o estômago está cheio.

A fome emocional não está localizada no estômago. Em vez de ouvir a barriga a roncar ou de sentir uma pontada no estômago, sente que a sua