Microbioma Intestinal: Papel na Saúde e Doença

Atualizado: 30 de Mai de 2019

Microbioma Humano


O microbioma humano é constituído por todos os microorganismos que habitam nas passagens nasais, cavidade oral, pele, trato gastrointestinal e trato genito-urinário. Estima-se que existam trilhões de microorganismos no corpo humano, sendo que este número é bastante superior ao número de células do próprio corpo.


O impacto do microbioma na saúde tem sido alvo de crescente interesse, sendo que é uma área de investigação ainda relativamente recente, mas com muito potencial na prevenção, tratamento e reversão de certas doenças associadas ao microbioma.

Microbioma Intestinal


O microbioma intestinal é composto por uma vasta comunidade de micróbios que se encontram no intestino e que formam um ecossistema com um sofisticado equilíbrio. A maioria dos micróbios presentes no intestino são inofensivos ou benéficos para os humanos.


Funções da Microbiota Intestinal


A microbiota intestinal tem como funções a produção de vitaminas, síntese de aminoácidos, biotransformação de ácidos biliares e fermentação de substratos não-digeríveis (fibras) em ácidos gordos de cadeia curta.


Garante também a proteção contra a colonização por bactérias patogénicas, ao competir pelos mesmos locais de ligação e nutrientes, assim como através da produção e secreção de substâncias antimicrobiana.


A microbiota apresenta assim um papel importante na manutenção do estado da saúde e na homeostasia do sistema imunitário.


Nascimento: O início da colonização

A colonização da microbiota intestinal começa com o nascimento e acredita-se que o intestino do bebé é praticamente estéril ou que apresenta um nível muito baixo de microorganismos ao nascer, contudo a colonização ocorre muito rapidamente após o nascimento.