Mitos sobre a Saúde intestinal



A saúde intestinal é um campo de investigação complexo e em constante evolução. É cada vez mais evidente que a saúde do intestino pode ter um impacto muito mais amplo no corpo, mas o foco nos probióticos e produtos especializados em melhorar o funcionamento intestinal resultaram no aumento da desinformação e confusão. Os probióticos podem ser benéficos para determinados problemas de saúde, no entanto mudanças na alimentação e no estilo de vida também podem fazer uma grande diferença.


Confira alguns dos mitos mais persistentes sobre a saúde intestinal e as dicas sobre o que realmente funciona.


Mito 1: A solução é tomar probióticos


Antes de iniciar a toma de um probiótico é necessário averiguar se este irá de facto resultar em algum benefício. Deve consultar um gastroenterologista, pois nalgumas condições poderá agravar a sintomatologia.

É pouco provável que recorrer a qualquer probiótico seja a solução mágica. É também importante referir que a toma de um probiótico sem a correta alimentação dificilmente irá regular o microbioma intestinal e surtir os efeitos desejados.

Outra questão relevante em relação aos probióticos são as estirpes dos mesmos, sendo que os efeitos benéficos de uma dada estirpe não podem ser atribuídos a outra. Como tal dependendo do objetivo terapêutico, a recomendação do probiótico irá depender de acordo com as suas estirpes.


Mito 2: Cortar algum grupo alimentar é a resposta


Deve sempre consultar um especialista antes de eliminar algum grupo alimentar, pois poderá estar a eliminá-lo sem justificação e poderá estar a afetar o microbioma intestinal e a causar alguma deficiência de algum nutriente.

No caso de necessitar de eliminar algum alimento, deve fazê-lo com acompanhamento, de modo a fazê-lo da forma mais equilibrada e substituindo-o por opções saudáveis. Um exemplo de eliminação bastante comum é o glúten, muitas pessoas eliminam-no e acabam por substituí-lo por opções menos saudáveis e muito processadas que acabam por prejudicar o intestino. É importante ter orientação quando se faz uma dieta de eliminação.


Mito 3: É necessário ingerir produtos especializados para melhorar a saúde intestinal


Apesar de atualmente existirem em abundância novos produtos e suplementos alimentares que mencionam ser benéficos para o intestino, a solução mais simples e económica é uma alimentação à base de plantas. Os especialistas afirmam que o melhor que se pode fazer pela saúde geral do intestino é uma alimentação saudável e equilibrada, que deve incluir uma variedade de frutas, legumes e leguminosas.


Alimentos benéficos para a saúde intestinal:

  • Alimentos prebióticos, como cebola, alho e alho-francês, ajudam as boas bactérias do intestino a prosperar

  • Fibras de frutas, vegetais e grãos integrais ajudam na digestão e estimulam os movimentos intestinais saudáveis

  • Alimentos probióticos, como os iogurtes e alimentos fermentados, incluem estirpes de boas bactérias semelhantes às do intestino


Mito 4: Para prevenir o cancro basta fazer os exames de Endoscopia e Colonoscopia


Apesar da realização dos exames endoscópicos ser muito importante para detectar e evitar a progressão do cancro, a verdadeira prevenção primária é feita através do estilo de vida. A dieta deve ser rica em fibras que se encontram na fruta, legumes e saladas e deve-se evitar o consumo de álcool, alimentos fritos ou queimados, enchidos e hábitos tabágicos.


Mito 5: Mudar a dieta ou tomar probióticos produzirá resultados imediatos


O tempo necessário para observar melhorias irá depender da causa do problema intestinal em si, sendo que poderá variar entre 2 semanas a 3 meses. É importante ter conhecimento que recuperar a saúde intestinal muitas vezes é um processo lento, no entanto só com consistência se irá melhorar o microbioma intestinal, diminuir a inflamação e recuperar o equilíbrio intestinal.


  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Cinzento G + Ícone
  • Cinza ícone do YouTube