Como é que a obesidade causa infertilidade?

O excesso de peso e a obesidade são um problema crescente em todo o mundo, que afeta negativamente várias funções corporais, incluindo o sistema reprodutivo. O tecido adiposo não é somente uma reserva de energia sob a forma de gordura, mas também um órgão endócrino que secreta vários peptídeos bioativos e que têm um importante papel na regulação do eixo reprodutivo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que a infertilidade afeta entre 50 a 80 milhões de mulheres em todo o mundo e que as mulheres com obesidade apresentam três vezes mais risco de infertilidade que mulheres não obesas.


A obesidade afeta as hormonas

O impacto da obesidade na função reprodutora é maioritariamente devido a mecanismos neuroendócrinos que interferem na função dos ovários. Mesmo em mulheres obesas com ciclos menstruais regulares e com fertilidade aparentemente normal, apresentam níveis inferiores de gonadotrofinas em circulação, estradiol e inibina em fase folicular, sugerindo que a obesidade tem um efeito inibitório na produção dessas hormonas. Ocorre também um aumento da produção de androgénios, diminuição da globulina de ligação de hormonas sexuais (SHBG) e aumento de conversão periférica de androgénios a estrogénios. Estas alterações hormonais podem afetar a ovulação e a receptividade do endométrio e aumentar o risco de aborto espontâneo.


A obesidade causa resistência à insulina

Existe uma associação entre a gordura abdominal e a resistência à insulina. Esta contribui e aumenta os desequilíbrios hormonais que estão associados à infertilidade. A resistência à insulina pode gerar ciclos menstruais irregulares e resultar em anovulação, que ocorre quando o corpo não produz oócitos adequadamente.


A obesidade afeta a gravidez normal e assistida

A obesidade dificulta o processo de engravidar, independentemente de ser por vias naturais ou por meio de técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV). As mulheres com excesso de peso demoram mais tempo a engravidar e têm mais complicações. Ter excesso de peso também aumenta o risco de ter um aborto espontâneo. Esta situação pode ser causada por problemas hormonais como os mencionados anteriormente ou pelo facto do corpo produzir oócitos de baixa qualidade devido à obesidade.


A obesidade também diminui a fertilidade do seu companheiro

Embora muito do foco da relação obesidade-infertilidade seja centrado nas mulheres, o excesso de tecido adiposo também afeta a fertilidade dos homens. A obesidade pode causar uma diminuição nos níveis de testosterona e qualidade da espermatogénese, podendo causar problemas de fertilidade. A disfunção erétil também ocorre em maior proporção em homens obesos.


Perder peso pode melhorar todos os fatores anteriormente referidos

Uma perda de peso de 5-10% do peso corporal pode melhorar drasticamente a taxa de fertilidade. Esta contribui para o equilíbrio hormonal e regularização dos ciclos menstruais, aumento da ovulação e concepção natural e diminuição da taxa de aborto espontâneo.


Caso necessite de ajuda para emagrecer, consulte um médico especialista em obesidade e uma nutricionista, para que possa emagrecer em segurança e planear a sua concepção.



#gastroclinic #obesidade #nutricao #excessodepeso #infertilidade #reproducao #fiv #perderpeso #gravidez #aborto #disfuncaoeretil

  • Grey Instagram Ícone
  • Grey Facebook Ícone
  • Ícone cinza LinkedIn
  • Cinzento G + Ícone
  • Cinza ícone do YouTube